NEFROSTOMIA PERCUTÂNEA

​Este é sem dúvida um dos procedimentos mais executados da prática intervencionista, e tem por objetivo permitir a livre drenagem, para o meio externo, do conteúdo do sistema coletor renal.

A nefrostomia está indicada quando por alguma razão há uma obstrução a livre passagem da urina produzida no rim para a bexiga (tumor na bexiga, na próstata, no genital feminino, cálculo renal), esta urina retida no rim pode então infeccionar e pode também provocar a progressiva perda da capacidade de funcionamento renal.

O procedimento consiste em inserir dentro do rim um dreno, por onde a urina possa sair. Este é realizado sob anestesia local e sedação, na sala de hemodinâmica e com uso da ecografia, para auxiliar na punção renal.

Seu índice de sucesso é descrito em 98% dos casos e suas complicações são incomuns, cerca de 5%. A recuperação após o procedimento é rápida, necessitando apenas de algumas horas de observação.

COLOCAÇÃO PERCUTÂNEA DE CATETER DUPLO J

O cateter duplo J quase sempre será inserido através da bexiga, pelo médico urologista durante a cistoscopia, porém quando por alguma razão não for possível à passagem do cateter pelo orifício do ureter na bexiga, uma alternativa é a sua inserção via percutânea.

A inserção do cateter duplo J tem por objetivo permitir a livre drenagem da urina produzida no rim para a bexiga, simulando o que ocorre no corpo naturalmente; ela está indicada quando por alguma razão há uma obstrução a livre passagem dessa urina (tumor na bexiga, na próstata, no genital feminino, cálculo renal).

O procedimento consiste na colocação do cateter, através de uma punção na pele que chega até o rim e então o cateter é levado do rim até a bexiga, ficando com uma extremidade em cada um, simulando o canal natural que existe ligando eles dois, por onde a urina possa fluir. Este é realizado sob anestesia local e sedação, na sala de hemodinâmica e com uso da ecografia, para auxiliar na punção renal.

Seu índice de sucesso é descrito em 98% dos casos e suas complicações são incomuns, cerca de 5%. Refere-se que com o tempo o cateter tende a obstruir e precisa ser trocado, a taxa de obstrução e de cerca de 54% em 3 meses e 95% em 6 meses.